13ª Parada Gay 2014 de Feira de Santana

A proposta foi tratar sobre a discriminação que ocorre dentro da família e também pela população.
Por: Léo Rodrigues





Milhares de pessoas foram até a Avenida Getúlio Vargas neste domingo (19) para participar da 13ª Parada Gay de Feira de Santana, que teve início por volta das 14h na praça de alimentação. O evento tem como tema: “É amor e ponto. LGBT também é família”. A proposta foi tratar sobre a discriminação que ocorre dentro da família e também pela população. De acordo com informações de Fábio Ribeiro e Thiago Oliveira, organizadores da 13ª Parada Gay, o número de participantes só tem
aumentado a cada ano. Para eles é a prova de que cada vez mais os homossexuais vêm saindo do armário. O evento contou com desfile de dois trios elétricos com transformistas e gogo boys animando a tarde de domingo. Pastores que acolhem os homossexuais deram uma mensagem. Gays,
lésbicas, travestis, transexuais e simpatizantes de Feira e região participaram do evento. Nossa equipe de reportagem foi conferir a festa, assista:

Read More

Desta vez fui o presente. Adorei!

Estatísticas de hoje: 569.846 acessos – 1.256 contos publicados



(colaboração de Silvana e Carlos)

 De certa forma esta é a continuação do nosso conto “No aniversário, ele comeu o Presente”. Alguns dias após a “festa” de aniversário do Carlos, Rose já havia retornado a sua cidade, logo me telefonou: 

- Oi Silvana tudo bem? A viagem de volta foi ótima e adorei ser o “Presente” do Carlos. Contei todos os detalhes para o Edu, meu marido, ele ficou tarado e disse que também quer “Presente”. Hahaha !!  

- Ahh! Rose, que bom que o Edu gostou, vamos marcar e vocês vêm passar o final semana em nossa casa, não falei com o Carlos, mas acho que ele vai adorar recebê-los também. 

Depois desse telefonema falei com o Carlos ele abriu um sorrisão e disse:

-Minha gata está taradinha morrendo de vontade de sacanagem!

Mais alguns telefonemas e uns 15 dias depois marcamos um final de semana, Rose e Edu chegariam no sábado para o almoço, ainda não o conhecíamos, eu estava bastante ansiosa: Será que ele é legal? Será que vamos gostar? Também não importa, pensei, se não rolar uma boa química vamos só jantar, passear e mais nada!!

Eu vestia saia soltinha na altura da coxa e blusinha branca frente única com um laço no pescoço e outro na cintura, não era transparente, mas permitia ver o contorno e o balanço de meus seios enquanto caminhava. Fomos pegá-los no aeroporto, chegaram bem animados, Edu pareceu ser bem legal, enfim um belo casal. Fomos a um restaurante bem aconchegante, ao chegarmos percebi os olhares dirigidos a Rose, seu corpo era valorizado pelo vestido de alças com fendas profundas expondo sensualmente seu colo e as costas, ela estava vestida “pra matar”. Bastante animado Edu foi logo falando:

- Quando a Rose me contou que seria o “Presente” que o Carlos ganharia, fiquei doido de tesão, queria ter participado; depois que li o que vocês escreveram, QUE TESÃO!!!! Fiquei tarado, nunca fui atacado por duas mulheres e estou doido pra experimentar. Insisti com a Rose… EU TAMBÉM QUERO!!!!

Durante todo o almoço essa foi nossa conversa, sexo, preferências sexuais, taras,… estávamos abertos para experimentar tudo! Tudinho mesmo!!! Enquanto conversávamos Carlos deixava sua “mão boba” passear por minhas coxas quase chegando a minha xota que já estava piscando querendo pau, molhadinha!! Edu tocava as costas de Rose e várias vezes a vi toda arrepiada. Estávamos “fervendo” fomos continuar o animado papo em casa. Ao cair da tarde, pudemos apreciar o pôr do sol da varanda de nosso apartamento enquanto tomávamos delicioso vinho para embalar a noite que certamente seria quente. A conversa continuava apimentada e Rose, sentada a nossa frente, movimentava as pernas com cara de safada, a cada movimento era possível ver a minúscula calcinha enfiada na xota, Edu acariciava de forma ousada seu corpo lindo. 

 

Não suportando mais aquele tesão ataquei meu gato, sentei-me em seu colo, a saia subiu quase toda expondo minhas coxas e parte da pequena calcinha preta enfiada, Carlos afastou minha blusa expondo meus seios aos seus carinhos e beijos gulosos. Edu fez escorregar as alças do vestido de Rose e igualmente deleitou-se. A sala cheirava a sexo e estávamos todos entregues às carícias loucas e descontroladas. Olhei para Rose e perguntei se já não estava na hora de dar o “Presente” do Edu, iríamos repetir tudo que havíamos feito no dia do aniversário e desta vez meu gato seria quase um espectador.

Fomos ao centro da sala e dançando tiramos as roupas ficando apenas de calcinha, Rose foi até Edu oferecendo-lhe os seios de forma provocante, trouxe-o para que pudéssemos abusar, tiramos-lhe a roupa, apareceu um belo corpo bem bronzeado, fiquei assustada quando fizemos saltar a rola rija:

- nossa Rose!!! , eu disse: – você não tinha me contado este segredo!  

A pica do Edu era grande e grossa, me arrepiei só de pensar que eu era o PRESENTE dele e teria que agasalhar aquela rola enorme! Ficamos por algum tempo em pé no meio da sala a saborear aquele homem, uma de cada lado a beijar e acariciar aquele corpo moreno, quando beijei-lhe a virilha segurou-me pelos cabelos colocando minha boca a sugar aquela pirocona, era impossível engolir aquilo tudo!

Fomos para o quarto, acomodamos Edu na grande cama, Rose foi sentando sua buceta arreganhada no mastro enorme, assustada eu assistia aquela pirocona penetrar em minha amiga enquanto Carlos me pegava por trás acariciando-me os seios e a xota toda melada. Rose levantou-se e caiu de boca na verga de seu homem me chamando para ajudá-la, ataquei o “monstro” revezando com Rose. Percebi que Carlos tirava a roupa e pegava algo ao lado da cama, logo descobri, uma tesourinha com a qual cortou as laterais de minha calcinha, uiiiii!! e tirou-a lentamente de meu rego. Enquanto eu tentava engolir todo aquele mastro, ajoelhada na cama, meu homem pincelou minha xota e penetrou-me forte, Ahhh, Humm! Com aquele pau enorme na boca, eu gemia a cada estocada. 

-Agora quero comer meu “Presente”, e começar só com um comunzinho papai/mamãe , disse Edu.


Rose e Carlos deitaram-me e abriram-me as pernas deixando minha rachinha toda oferecida para a pirocona, passaram um lubrificante e ficaram a observar quando a cabeçorra começou a arrombar-me. Aiiiiiiii! Ahhhh! AiAiAi! Eu gemia com um misto de dor e prazer.

- É isso que você quer… você quer pau… então vou te dar… vou meter nessa buceta gostosa, disse Edu, eu pedia:

- mete tudo… uiiii….. mete mais…. assim…. enfia tudo… uiiii como você mete gostoso, e ele obedecia.

 Gozamos muuuito!!! Quando aquele mastro a meia bomba saiu de dentro de mim pude ver o “estrago” minha rachinha estava toda alargada e ardidinha; enquanto nos recuperávamos Carlos e Rose se entregavam às carícias fazendo um guloso 69. Edu me levou ao banho e para compensar o “estrago” foi suave ensaboando-me todo o corpo tratando-me como uma rainha. Descansamos e após adormecer um pouco acordei aos carinhos de mãos, Edu sussurrou em meu ouvido: agora quero brincar com o outro lado do “Presente”, fingi que não entendi, pois ele iria acabar com meu cuzinho.

Senti a pirocona roçando minhas costas, olhei para o outro lado e vi Carlos sentado na poltrona sendo cavalgado suavemente por Rose. Embora com medo, cedi aos carinhos de Edu que massageava meu cuzinho com os dedos lubrificados, e falava ao meu ouvido deixando-me toda arrepiada. Meu cuzinho fervia com a massagem e os dedos a entrar e sair, posicionei-me na cama de forma a permitir a penetração sem muita dor.

Edu não perdeu tempo, segurou-me pela cintura e foi forçando lentamente a penetração, experiente ele sabia que iria provocar muita dor, aiaiaiaiai! Ele cutucou um pouco e foi empurando até passar a cabeçorra, a dor era enorme parecia me rasgar aiiiiiiii, Pare! Pare! Fugi dele enquanto sentia meu cuzinho arrombado latejar. Pedi-lhe para deixar pra depois e colocando um babydoll corri para a cozinha com a desculpa de preparar um lanche. Rose, que continuava cavalgando Carlos, chamou Edu dizendo:

 - Vem meu amor me completa todinha, quero mais pica! Edu, sem dó, afundou seu cacetão no cu de Rose que certamente já estava acostumada a agasalhar aquilo tudo! De onde estava eu conseguia ouvir os ruídos daquela DP selvagem, ahhh! Uiiii! Vai, vai, vai !! agora ahhh ! ahhh ! Quando voltei ao quarto eles já haviam tomado banho e estavam deitados, Rose de olhos fechados era acariciada pelos dois, convidei-os ao lanche.

Durante o lanche Edu insistia em dizer que ainda não havia recebido todo o “Presente”, Carlos disse que o ajudaria então. Lanchamos demoradamente, e, comecei a retirar as coisas da mesa quando fui agarrada carinhosamente por meu homem que me beijou gostoso enquanto me amassava o corpo todo, colocou-me debruçada sobre a mesa da sala, pegou o pote de manteiga, lambuzou-me, vestiu uma camisinha e começou a forçar meu cuzinho dolorido, seu pauzão deslizou penetrando-me toda e bombando até o gozo.

Carlos com as mãos sobre minhas costas fez sinal para Edu oferecendo-lhe uma camisinha, fechei os olhos esperando a pontada de dor…passaram mais manteiga, meu cú alargado latejava, senti quando a cabeçorra encostou forçando meu anus… foi entrando com um pouco de dor, mas suportável… logo Edu havia empurrado toda aquela tora para dentro de mim e segurando-me pela cintura bombava forte e gemia alto, ahh ahh ahh hummm aiaiaiai ahhhhhhhhhh! Uma onda de calor invadiu meu corpo, comecei a tremer descontrolada e gozei, com Edu afundando a verga em minhas entranhas. Passei o resto da noite dolorida, mas isso não impediu de namorarmos os quatro durante todo o final de semana de muito carinho e sexo.

Read More

Três amigos jogando bola, pelados e com tesão



(escrito por Kaplan)

Vicente, Giovani e Lucas estavam jogando bola no amplo gramado do sítio dos pais do Lucas. Os três eram amigos de infância e estavam cursando Comunicação numa faculdade da cidade. Além deles, só a mãe de Lucas estava no sítio. Ela não gostava muito, mas aceitava o comportamento sexual dos três, eles eram gays já assumidos, ela sabia, já os tinha visto aos beijos e outras carícias. 

Naquela tarde de grande calor, eles corriam pelo gramado e de repente o Lucas sugeriu que jogassem bola pelados. Os dois aceitaram e logo estavam nus, correndo atrás da bola. A mãe do Lucas veio trazer refrigerantes para eles e quase caiu de costas quando viu a farra que eles faziam, porque quando trombavam um com o outro, geralmente esqueciam a bola de couro e agarravam as bolas um do outro.

Ela avisou que tinha um lanche para eles e entrou, não queria ficar vendo.

Dali a pouco o Vicente disse que precisava ir embora, por isso ele viera de carro, pois tinha compromisso com hora marcada. Lucas e Giovani pararam de jogar e foram comer os sanduiches e beber os refrigerantes. E logo os olhares deles denunciaram que estavam a fim de outro tipo de jogo. 

Aproveitando que mãe do Lucas tinha ido para seu quarto, Giovani pegou no pau do amigo e deu-lhe uma chupada, fazendo-o ficar bem duro. Era um pau respeitável, quase 20cm de comprimento, invejado por todos os gays que eles conheciam. Já o do Giovani tinha modestos 13cm.

- Ai, Lucas, eu adoro este seu pau… é tão bonito, tão grande! Queria que o meu fosse assim também!

- Deixa de ser bobo! O seu também é bonito. Já te falei isso tantas vezes! Além de bonito é saboroso! Adoro chupar você, você tá careca de saber disso.

- Ah, mas quando você me come… hummm…. que delícia que é entrar rasgando meu cu…

- Mas você é masoquista, gosta de sofrer! Eu prefiro transar com você com seu pau menor do que com o Vicente, que tem um quase igual ao meu.

- Ai, tá bom tá bom… mas vamos pro seu quarto? Essa conversa me deixou aguado…

- Não senhor, seu porquinho. Estamos suados, vamos tomar um banho e lá a gente brinca à vontade.

Pegou o Giovani pela mão, deu-lhe um beijo, pegou no pau dele e fez um carinho. Foram andando, de mãos dadas, pela casa, até chegarem ao banheiro social, que tinha uma banheira de hidro.

- Vai enchendo a banheira, vou falar com a mami que vamos tomar banho.

Foi até o quarto, entro lá pelado e viu o olhar de desaprovação dela.

- Mami, desculpa, esqueci que estava pelado. Vou tomar um banho com o Giovani, viu?

- Por que não toma um de cada vez?

- Mamiiiiiiiiiii…..

- Está bem, está bem, podem ir.

Ele correu para o banheiro, trancou a porta, o Giovani chupou-lhe o pau até endurecê-lo, ele pôs a camisinha, sentou-se na borda da hidro e chamou o amigo.

- Vem cá, cuzinho de ouro, senta aqui que vou acabar com você, hoje!

Giovani primeiro lascou um grande beijo na boca do Lucas e depois sentou-se. Já estava acostumado a dar para o Lucas, mas sempre doía um bocado quando o pauzão dele entrava em seu cu. Sentou-se vagarosamente até sentir que tudo já estava dentro dele e aí ficou levantando e abaixando a bunda, gemendo baixinho. 

Depois eles ficaram em pé dentro da banheira, Giovani inclinou-se, oferecendo sua bunda para o amigo e o Lucas enfiou de novo seu pau e dessa vez ele é que ficou movendo o corpo para a frente e para atrás, segurando na cintura do amigo.

Saíram da banheira e ele sentou-se de novo na borda, e o Giovani tornou a sentar-se no pau dele.

- Pega no meu, Lucas… adoro quando você pega e me punheta…

Lucas pegou e ficou punhetando, mas isso o fez gozar, encher a camisinha. Tirou-a, os dois se beijaram de novo.

- Vamos tomar o banho de verdade agora! 

Ao entrarem na banheira, a água já havia esfriado. Arrepiados, preferiram esvaziar a banheira e tomar banho de chuveiro mesmo. Giovani resolveu ensaboar o amigo, passando a mão em todo o corpo dele e demorando-se na bunda.

- Sua bunda também é muito bonita Lucas, acho que a mais bonita que já vi até hoje!

- Você fala isso porque está querendo me comer, sua bicha safada!

Foi abraçado.

- Claro que quero e vou te comer agora… mas é verdade, sua bunda é linda!

Foi a vez do Lucas inclinar o corpo e esperar que o pau do Giovani entrasse em seu cu. De fato, era um pau pequeno, ele preferia transar com o Vicente. Mas dava sempre para o Giovani porque não queria que ele ficasse complexado pois era o que tinha o pau menor dos três.

Deixou que ele metesse até gozar também. E assim terminaram o banho, aos beijos e abraços. Só lamentaram a ausência do Vicente para que a festa tivesse sido completa!

Read More

No aniversário, ele comeu o presente!

Estatísticas de hoje: 568.686 acessos – 1.254 contos publicados



(colaboração de Silvana e Carlos

Já realizamos muitas de nossas fantasias, mas tem uma, que ainda não tivemos oportunidade de viver. Quando acordo pela manhã, escorrego entre as cobertas até acordar Carlos com um belo boquete, sempre imaginei ter outra gata me ajudando a levá-lo à loucura chupando aquela rola linda. 

O aniversário dele estava próximo, pensei e fazer-lhe uma surpresa realizando mais essa fantasia, mas não queria contratar uma garota de programa. Os dias passando; estava quase desistindo de dar outra gata de presente para meu homem quando recebo um telefonema de uma amiga que havia se mudado para o Rio. Rose estava na casa de parentes e passaria uns dias em nossa cidade, disse que estava com saudades então marcamos um encontro para colocar a conversa em dia. Nossa!! Será que esta seria a oportunidade que estava esperando para presentear meu Marido?

No dia seguinte fomos a uma casa de chá ao final da tarde, Rose chegou muito bonita, ela é morena alta, com corpo bem cuidado e beirando os 40 anos. Quando ainda  morando em nossa cidade sempre conversávamos sobre tudo e algumas vezes Rose fazia elogios ao Carlos e dizia que ele deveria ser uma perdição na cama com aquelas coxas lindas e ….. Naquela época nós ainda vivíamos de forma mais recatada, talvez por isso não tenhamos percebido as indiretas de Rose.

Agora, mais experiente, conduzi a conversa com Rose de forma que ao final convidei-a para ser o PRESENTE de meu gato, ela ficou eufórica e então marcamos outro encontro para combinar os detalhes. Disse ao Carlos que faríamos um lanche no dia de seu aniversário e que ele ganharia um presente surpresa.

Tudo combinado chegou o DIA, já não estava mais com tanta certeza que era isso que eu queria, estava batendo um ciuminho, mas me contive, afinal fazia algum tempo que fantasiávamos ter mais uma mulher conosco e não poderia deixar passar essa oportunidade. A Rose estava entusiasmada me ligou três vezes naquele dia confirmando detalhes, ela chegaria a nosso prédio pela garagem e teria facilidade para chegar até nosso apartamento.

 
foto: Carlos

Passei o dia doida de tesão! Cheguei em casa antes do Carlos, havia me depilado cuidadosamente, tomei banho demorado e perfumado, um vestido soltinho semitransparente, uma minúscula calcinha e sandália alta. Quando ele chegou já começou a me beijar e levantar o vestido que pouco cobria. Estava doida de vontade, tinha passado o dia pensando em como seria nossa noite,…. estava tarada! Segurei-me, pedi-lhe que fosse ao banho para então poder ganhar os presentes.

Preparei um lanche e coloquei meu presente sobre a mesa com um bilhetinho: “Meu amor, esta lembrança vai marcar uma noite inesquecível de aniversário, aguarde pela surpresa”.

Ele mal terminou de ler o bilhete tocou a campainha, Carlos foi atender…. Vocês precisavam ver a cara de espanto quando abriu a porta, Rose entrou abraçando-o, desejando feliz aniversário e disse: VIM PARA A FESTA!! não precisou dizer mais nada, meu gato já havia entendido tudo, pelo seu olhar eu tinha certeza que havia gostado, e muito, do presente surpresa.

Rose estava um tesão, vestida como puta refinada! Saia curtinha e blusinha, ou melhor, dois pequenos tecidos presos ao pescoço cobriam os fartos seios e se prendiam à cintura com uma faixa amarrada, além da sandália alta.

O Carlos vai lhes contar o que aconteceu a seguir, pois só ele pode descrever as sensações que viveu:  

- Abri a porta e fui surpreendido pelo abraço de Rose, passados alguns anos ela continuava boazuda, ao vê-la vestida de forma provocante entendi qual era o presente que Silvana queria me dar! 

Passado o “susto” inicial servi um champanhe às duas gatas que começaram a dançar de forma provocante. Estávamos na sala à meia luz, envolveram-me com sua dança sensual e se esfregavam em mim deixando-me cada vez mais tarado. Comecei a desabotoar a camisa, fizeram sinal para parar e começaram a tirar as roupas uma da outra, logo estavam só de calcinha dançando, e, eu como espectador estava a ponto de explodir! As duas vieram novamente ao meu encontro e quase nuas esfregavam-se em mim enquanto lentamente tiravam minha roupa, ahhhhh que tortura deliciosa ahhhhhh !!!! 

 Passaram a me acariciar de forma “covarde” deslizavam pelo meu corpo a beijar-me e vez por outra se dedicavam a chupar minha rola já a ponto de explodir, quando sentiam o pulsar forte do mastro, gemiam dengosas e passavam a beijar-me a virilha evitando o gozo. Já não agüentava mais, gemia e pedia que acabassem logo com aquela “tortura” ahhhhhhh. Levaram-me até o quarto, e, com fitas de tecido leve me “amarram” à cama, tiraram suas calcinhas e ai sim é que começou a tortura!!

As duas me beijavam e acariciavam o corpo todo, estava vendo a hora que iria gozar sem penetrá-las, enquanto uma se dedicava a engolir quase toda minha verga a outra me chupava o saco e a virilha fazendo-me “subir pelas paredes”, Silvana segurou meu mastro apontando para o céu, e fez sinal para que Rose sentasse, ela se acomodou sobre meu corpo, com as mãos abriu os lábios e foi sentando vagarosamente sobre a rola que ia desaparecendo em suas entranhas, enquanto minha gata posicionou sua xota próxima de minha boca e começou a gemer ao toque da língua gulosa.

Ficamos nesta posição longos e deliciosos minutos, enquanto as mulheres de forma tímida tocavam os seios uma da outra …..  Rose rebolava e sentava forte como quem não quer perder um único centímetro do pau, subia e descia gulosa. O quarto estava tomado pelo aroma de sexo e os gemidos cada vez mais fortes denunciavam todos à beira do orgasmo !! Nós gritávamos Ahhh, uiiiii, Vai! Vai! agora goza goza goza gooooza !!!! ahhh gozaaaamos! Rose lentamente foi se levantando para assistir a saída do gigante, meu pau semi-rígido estava totalmente lambuzado, Rose deitou-se a meu lado e desatou as amarras que me prendiam delicadamente à cama, Silvana em êxtase, avançou em busca de meu gozo, e só parou de me chupar quando o gigante deu sinal de vida novamente, enquanto Rose ora me beijava, ora oferecia os seios para serem devorados. 

Silvana foi buscar mais champanhe; com o fino tecido que haviam usado para me amarrar vendei os olhos de Rose e disse: “agora é minha vez de brincar com MEU PRESENTE” lentamente passei-lhe a língua e beijei-lhe o corpo todo, ela se arrepiava toda e se contorcia. Afastei-lhe as pernas e após atenção especial à virilha e à parte interna das coxas toquei a ponta da língua na xota, ela pulou e gemeu forte, avancei a língua e sorvi todos seus líquidos, gulosamente engoli suas carnes penetrando-a com a língua. Rose estava descontrolada, gemia, se contorcia, me arranhava, com os olhos vendados sua percepção aumentara! Posicionei-me para estocá-la, coloquei só a cabecinha e pude ver os grandes lábios como que a beijar minha rola, tirei e voltei a cutucá-la, ela implorava por tudo !!!

Põe! põe tudo! Me rasga! ela dizia, finalmente empurrei todo o mastro e bombei sua xota, sob os olhares de Silvana que havia voltado e assistia a tudo enquanto acariciava-se suavemente.

Nosso gozo veio forte e aos gritos e gemidos derramei todo meu néctar naquela buceta gulosa. Após um curto repouso levei minhas gatas ao banho. E que banho …. Me lavaram todinho, ora com mãos escorregando pelo corpo, ora esfregavam os corpos no meu, ora suas bocas encontravam a minha, ora encontravam meu pau que já estava uma tora. Enquanto Rose lavava minhas costas, Sil oferecia sua buceta para ser arrombada, pedia dengosa para que eu a comesse gostoso, que ainda não havia ganho uma enfiadona …  uiiii nunca havia tomado um banho tão gostoso!!!! 

Saciados e exaustos fomos para cama e durante toda a madrugada, entre um ressonar e outro era acordado por uma das gatas se esfregando em mim ou engolindo meu mastro ahhhh aquelas gatas taradas e oferecidas. Ficamos nos acariciando e namorando até o amanhecer, tomamos mais um banho e só então fomos saborear o bolo deste aniversário inesquecível.

Read More

13ª Parada LGBT de Feira de Santana 2014

Olá Minhas Delícias!!! Um mega sucesso a 13ª Parada LGBT com organização do GLISH, Com o presidente Thiago Oliveira, Fabio Ribeiro, apoio da Prefeitura Municipal de Feira de Santana. O tema LGBT Também é Família.
O clima de festa, de alegria de amor contagiou a Avenida Getúlio Vargas. A Avenida se coloriu com bandeiras de arco íris, amor, paz e amizade.
Confira um pedacinho do evento através de fotos e a cobertura total no:

 

http://www.portalvaleapenaver.com/

 Confiram tudo o que rolou no
 
http://www.portalvaleapenaver.com/

Read More

FESTAS

Minhas Delícias e a loucura, o amor a paixão não termina por aqui…
Mais
um evento maravilhoso da nossa musa inspiradora Nega Lu, que já promovo
festas maravilhosas, promoveu a sua 1ª Edição Nega Lu Fantasy.
Acompanhe.
 
http://www.portalvaleapenaver.com/

Nega Lu Fantasy, uma Festa à Fantasia TOP! 

Dany Pimentinha e a equipe do Portal Vale a Pena Ver foram até a festa
“Nega Lu Fantasy”, promovida por Nega Lu, entrevistar a galera. Um
ambiente com muita gente bonita e animada. Vale a pena ver o que ela
aprontou:

Read More

FESTAS

Olá Minhas Delícias!!! Nossa a minha
vida está uma loucura, mas está uma delícia!!! Estou morrendo de
saudades de todos vocês de nossos encontros todos os dias e de nossos
momentos mais íntimos nos contos de todas as Segundas.
Hoje vim aqui apresentar mais m trabalho realizado com muito amor e carinho em parceria com o 
 
http://www.portalvaleapenaver.com/
Acompanhe
essa parceria que está dando muito certo nos vídeos das primeiras
festas em que eu Dany Pimentinha penetro completamente na vida de vocês.
Vamos ao Primeiro vídeo?

Festa Pandora se consolida no ramo de música eletrônica em Feira 

A equipe do Portal Vale a Pena Ver foi conferir a Festa Pandora que
neste mês de outubro completa 1 ano. Para comemorar, uma edição especial
de aniversário foi realizada na Mansão Aurora, no bairro Santa Mônica,
com direito a tudo que o público jovem curte na vibe. A festa mostrou
pra galera que ainda se pode fazer boates com qualidade em Feira de
Santana. Durante a gravação da matéria, pessoas que não deram entrevista
afirmaram que o evento superou as expectativas. A festa se tornou forte
no ramo de música eletrônica em Feira pelo motivo de trazer DJs que
buscam o profissionalismo e pelo fato do próprio público da festa
aguardar ansiosamente pelas edições e as mesmas serem sucesso, atraindo
novos “seguidores”.

A dupla Dany Pimentinha e Anderson de Assis foram bater um papo com a
galera e conferir as novidades com muita descontração, assista a
matéria:

Read More