SANTINHOS DO SWING

Mais uma grande festa do casal K & C para vcs que curtem conhecer novas pessoas fazer novas amizades e se expandir o horizonte no meio liberal.

E sempre o casal K & C sai na frente com um grande evento para marca época no estado no qual o swing é meio oculto e fechado.
Sendo assim o casal K & C que gosta de reunir os amigos já conhecidos e juntar os que ainda vao nos conhecer.
Que todos sejam bem vindos, pois aqui não há diferença, os iniciantes, os que estão começando agora, os veteranos, porque gostamos mesmo é que todos estejam reunidos.
E para quem ainda não nos conhece e já ouviu falar mal ou bem, por favor venham nos conhecer para tirar suas próprias conclusões. Assim podem ter sua própria definição do casal K & C.



Quando será?
Dia: 04 de Abril de 2015.
A partir das 22 horas ate as 04.

Onde será?
Interlagos – Ponta da fruta VV.
Um local amplo, climatizado e estacionamento para seu carro.

Valores correspondentes?

Casal: 70,00 trazer sua bebida
Solteira: 30,00 trazer sua bebida
Solteiro: 100,00 trazer sua bebida ( SOMENTE ACOMPANHADO DE UM CASAL )

 * Após a realização do deposito favor nos enviar uma foto do comprovante para o email:

 
casalkec@hotmail.com

 Pagamento na hora?

Casal: 100,00 trazer sua bebida
Solteira: 50,00 trazer sua bebida
Solteiro: 150,00 trazer sua bebida ( SOMENTE ACOMPANHADO DE UM CASAL )

 Como participar?

So entrar em contato conosco para pegar numero da conta para a realização do seu deposito.

Para aqueles amigos que queiram ir mais cedo, já estaremos no local a parti das 14 horas fazendo um churrasquinho. Para já irem se interagindo e se divertindo no local maravilhoso.


OBSERVAÇÕES:

 
Favor confirma presença com o depósito ate sexta feira dia: 03/04 
 
* HOMENS

- Apenas 5 solteiros serão permitido;
– Apenas convidado por um casal;
- Se tiver alguma reclamação na festa por parte do casal, será convidado a se retirar, mesmo tendo pago não haverá a devolução do mesmo.
- Terão pulseiras de identificação.

CONTATO:
 
(27) 9 9649-2030

Leia Mais

Meu marido me incentivou a dar… então dei!


(escrito por Kaplan)
Encontro com minha amiga Fátima. Notei que ela estava mais radiante, sorridente, falando pelos cotovelos. Na minha intuição… tinha coisa ali! E nós dois éramos conhecidos há décadas, então não hesitei em perguntar o que estava acontecendo. Ela ficou vermelha, mas acabou me confessando. 

- Olha, Kaplan… se você tivesse a opportunity de me ver há dez dias atrás, às oito horas da noite… ficaria abismado! Eu estava com essa saia que estou usando agora (era uma minissaia jeans) e uma camiseta amarela que meu marido comprou pra eu usar naquela noite. E sabe por quê? Porque eu ia realizar o sonho da vida dele desde que nos casamos: eu ia transar com outro homem, na frente dele!

- Verdade? Bem, devo te confessar que uma vez ele me falou que isso seria o máximo…

- Pois é, eu tenho negado para ele desde que nos casamos, e olha que já tem mais de 15 anos! Naquela época eu tinha um corpo ajeitado, hoje nem tanto, mas ele continuava insistindo. Aí resolvi, falei que ia dar pra outro cara. Escolhemos na internet, nestes sites de acompanhantes, ele fez questão de selecionar alguns para eu escolher, cada um com o pau maior do que o outro.

- Escolhi um tal de Fabiano, me pareceu muito simpático. E foi há dez dias atrás que ele esteve lá em casa. Minhas pernas tremiam, Kaplan, eu pensei que ia desmaiar, mas o maridão maluco estava lá ao meu lado, me dando a maior força.

O Fabiano chegou. Era novo, devia ter uns 24 ou 25 anos. Aí é que tremi nas bases, eu tenho idade para ser a mãe dele, pensei! Mas ele levou tudo numa boa. Sentamos na sala, ele falou um pouco sobre ele, perguntou sobre a gente, se éramos mesmo casados, e por que o procuramos…. acho que era só para quebrar o gelo. Eu continuava tremendo… 

Ele começou a me elogiar… disse que eu sou muito bonita, mas isso eles devem dizer pra todas, né? Imagina se ele ia chegar e falar que sou feia… E foi chegando bem para perto de mim e levou a mão ao meu seio… Quase desmaiei, que toque mais gentil… e interessante, depois desse toque eu relaxei. E pude aproveitar melhor a situação. O maridão só olhando…

E você acredita que o safado me puxou e me tascou um beijo na boca? Ah, Kaplan, aí eu me esqueci que era casada, que meu marido estava ali quase gemendo de tanto tesão,me entreguei de verdade pro Fabiano. Beijei com vontade, com volúpia, beijo de língua, demorado, molhado… uma delícia! 

Ele não perdeu rhythm, tirou minha camiseta e elogiou meus seios, ficou passando as mãos neles, fazendo questão de que meu marido visse tudo. Tirou minha saia, me deixou só de calcinha, aí tirou a camisa e a calça. O safado nem cueca usava! E que pau! Kaplan, o que era aquilo! Mole, balangando, era maior do que o do meu marido duro! Me deu uma vontade louca de fazer tudo que fosse possível. 
Claro que comecei chupando, que coisa maravilhosa!

Eu acho que ele atende a muito marido corno, porque sabia exatamente como deveria ficar para ele assistir tudo com detalhes. Nessa hora do boquete ficamos de lado, meu marido via o pauzão dele ser engolido pela minha boca, via eu lambendo o pau dele, via eu pegando nas bolas, via tudo. E não tirava a mão do pau, via-se que estava excitadíssimo com o que ele via.

E sabe o que o safado do Fabiano fez? Me deitou no sofá, eu fique com a cabeça no colo do maridão, permitindo que ele visse detalhadamente o pau dele entrando bem devagar na minha buceta…enfiou tudo e eu quase gozei só com a enfiada! 

Depois de measuring device bastante, ele me pôs de joelhos no chão, apoiando minhas mãos nos joelhos do meu marido, para que ele visse a minha cara enquanto ele metia por trás. Você não vai acreditar, mas eu gozei vendo que meu marido gozou nas calças, vi a mancha aparecendo e fiquei tão excitada que gozei também.

Acha que acabou? Nadinha… o Fabiano ainda me fez cavalgá-lo com a bunda virada pro marido, para ele ver o pau aparecendo e sumindo quando eu levantava a bunda e baixava…

E completou gozando na minha cara, bem perto do maridão, que viu aquela porra toda me inundando. Foi embora e meu marido me catou, me levou pra cama e me comeu também. Me agradeceu e agradece até hoje. O que ele não sabe é que gostei tanto que dei sem ele saber! Voltei  no site, peguei o telefone do Fabiano e o chamei para ir em casa na parte da tarde, ele me disse que não poderia, só trabalhava à noite, e me recomendou um amigo dele. 
Aceitei e o rapaz veio à tarde. Nem me lembrei de perguntar o nome dele, eu estava eufórica com a possibilidade de transar sem o marido ver. 

E fui muito ousada, Kaplan, nem eu estava me reconhecendo! Recebi o cara de saia e sutiã, desses meia-taça e lógico, mais da metade dos meus seios já à disposição dele. E ele não perdeu rhythm, sentou numa poltrona, me puxou, me fez ficar sentada no colo dele e começou a mamar nos meus seios. Beleza pura!

Tirou minha saia e gostou de ver que eu estava sem calcinha. E me fez uma coisa que o Fabiano não tinha feito, me chupou a buceta. Chupada de qualidade, viu? Esses acompanhantes são realmente entendidos, sabem dar prazer prá gente. Estou virando freguesa deles! 

Fiz questão de chupar o pau dele também, acho que ele gostou, porque não interrompeu, deixou que eu fizesse o trabalho completo. Depois é que ele me comeu, e foi só de um jeito, eu cavalgando. Pulei bastante, o suficiente para gozar.

Foi muito bom. Já chamei ele outra vez, então já tenho contabilizadas três fodas com estranhos, uma com o marido vendo e duas sem ele saber. Não contei pra ele. Nem vou contar…

- Que tal mais uma? Olha como você me deixou.

Mostrei minha calça para ela, meu pau estava duro e o volume era grande.

- Kaplan, você é louco de jogar pedra… mas já que tocou no assunto e eu estou gostando muito disso, vamos lá pra casa. Agora, senão depois eu desisto!

Leia Mais

Vizinhos… sempre os vizinhos!


(escrito por Kaplan)
Não, não era apenas a Meg que gostava dos vizinhos e era adorada por eles. Nossa amiga Leila também tinha uma queda por vizinhos, não importa se solteiros ou casados. E gostava de viver perigosamente, porque ao contrário lá de casa, o marido não sabia de nada…

Era só ele sair para o trabalho que ou um vizinho aparecia ou ela aparecia no apartamento de um. Leila era bonita, quarentona, magra, seios grandes, bumbum também. Sendo magra, os seios e a bunda se destacavam. Quando ela descia para a piscina do prédio, era hora das casadas começarem a implicar com os maridos. “Você está olhando demais para ela! Para de fazer gracinhas para essa perua!”

Os maridos não sabiam o que fazer. Como não admirar a Leila? Como fingir que não a viam? Os biquínis que ela usava destacavam mais ainda o que ela tinha de mais exuberante.

Os que já tinham comido, claro, ficavam mais calmos, não davam motivo para as esposas reclamarem. Mas os que ainda sonhavam comer a Leila ficavam indóceis e geralmente eram tirados de lá pelas esposas furiosas.

Vou contar um dos casos dela, porque o vizinho era amigo nosso e acabou contando. Pediu segredo, mas como já se passaram mais de 20 anos e estou mudando os nomes dos personagens, acho que não tem problema contar.

Ele era casado, ele e a esposa trabalhavam. Na época de tirarem férias, ele conseguiu marcar para o primeiro dia do mês, mas a esposa só conseguiu para o terceiro dia. E a Leila, claro, ficou sabendo disso porque ele contou a ela no elevador, como se fosse algo banal.

- Vamos ficar uns 15 dias fora, Leila, tá na época de férias que ninguém é de ferro. Só não vamos amanhã porque a minha mulher só entra de férias depois de amanhã. Então, para adiantar tudo, amanhã eu vou ficar em casa o dia inteiro, eu mesmo vou fazer as malas, deixar tudo pronto para podermos sair bem cedinho.

Leila entendeu o recado, se é que era um recado. Então, ficou na espreita, para conferir que seu marido ia trabalhar e que a esposa do nosso amigo também. Quando viu que os dois realmente já tinham saído, pegou o elevador e foi para o apartamento dele.

Ele abriu um sorriso muito grande quando a viu. Percebeu que o recado fora bem dado. Olhou bem a Leila. Usava um vestido bem curto, com um decote imenso, que valorizava tremendamente os seios fartos.

Sentaram-se na sala e começaram aquele papo tolo, de saber onde eles iam, etc e tal. Sentada meio de lado, encarando-o, Leila estava toda oferecida. Seu vestido curto deixava suas coxas praticamente visíveis na totalidade. E gostou de ver que o vizinho não era bobo. Logo ele começou a elogiar o corpo dela.

- Você tem seios que chamam a atenção… eu gostaria muito de ver!

- Pois veja!

O vestido era de alças, que ele abaixou na mesma hora. Os peitões surgiram em sua plenitude e ele os pegou, lambeu e beijou. Ela gostou de ver a iniciativa dele e sua mão procurou ver como estava a temperatura no meio das pernas dele. Hum…. bem quente e duro!

Abriu a calça dele e pegou na vara grande e duríssima.

- Não sou apenas eu que tenho o corpo bonito… que maravilha isso aqui! Eu imaginava exatamente isso!

- Você imaginava?

- Claro, meu querido… a sunga que você usa na piscina é bem reveladora… e usando óculos escuros eu posso ver sem ser percebida. Entendeu?

- Você é terrível…

- Isso você vai saber agora! 

E caiu de boca no pau dele, chupou do jeito que sabia que ele iria gostar. Deixou o vizinho maluco e pensando por que a mulher dele não aprendia com a Leila a fazer um bom boquete?

Mas além dos seios ela tinha o bumbum. E ele não via a hora de vê-la toda pelada, então tratou de tirar o vestido dela. 
Nossa… que coisa maravilhosa era a bunda da Leila. A calcinha não tampava nada mas de qualquer forma valia a pena arrancá-la. E foi o que ele fez para começar a lamber e apertar aquela bunda que tesava todos os homens do prédio.

Com ela de quatro, ele enfiou um dedo na xoxota e ouviu o gemido de aprovação dela. Não precisava esperar mais nada. Enfiou o pau e começou a bombar, vendo o corpo dela sacudir todo em cima do sofá. Em seguida, ela quis cavalga-lo e ele ficou impressionado com a velocidade, a rapidez com que ela subia e descia o corpo, gemendo sem parar e dando a entender que não demoraria a ter um belo gozo. 

O que de fato aconteceu poucos minutos depois. Como ele não tinha gozado, imaginou que poderia comer o cu da Leila, mas ela disse não. Mesmo safada como ela era, tinha por princípio nunca ser enrabada no primeiro encontro. Mas beber o leitinho dele, tudo bem, então ele levou o pau até sua boca, e ela o chupou até que ele gozasse e ela pudesse beber o leite revigorante.

A única dúvida agora era: quando eles teriam o segundo encontro, para que ele pudesse cobrar a promessa que ela fizera?

Leia Mais

Untitled

AOS AMIGOS(AS)  LEITORES(AS)  E SIMPATIZANTES DESSE BLOG, LAMENTO O TRANSTORNO MAS DEVIDO A NOVA POLITICA DO BLOGGER, VOU TER QUE FAZER ALGUMAS CORREÇÕES MAS O MAIS BREVE POSSIVEL SERÁ REPUBLICADO TODOS OS CONTOS AQUI PUBLICADOS NESSES ANOS DE EXISTENCIA.

Agradeço a compreensão, e para que o blog não seja bloqueado a todos os leitores as correções e retirada de imagens serão necessárias.

Prezado usuário do Blogger,

Estamos escrevendo para informá-lo sobre uma futura alteração na Política 
de Conteúdo do Blogger que pode afetar sua conta.

Nas próximas semanas, não serão mais permitidos blogs contendo imagens ou 
vídeos de nudez explícita ou sexo explícito. A nudez apresentada em 
contexto artístico, educacional, científico ou de documentário ainda será 
permitida, bem como em situações em que houver outros benefícios 
substanciais para o público se medidas sobre o conteúdo não forem tomadas.

A nova política entrará em dynamism no dia 23 de março de 2015. Depois que 
essa política entrar em dynamism, o Google restringirá o acesso a qualquer 
blog identificado como em violação da política revisada. Nenhum conteúdo 
será excluído, mas somente os autores do blog e as pessoas com quem eles 
tiverem expressamente compartilhado poderão ver o conteúdo que tornamos 
privado.

Nossos registros indicam que sua conta pode ser afetada por essa alteração 
na política. Evite criar um novo conteúdo que viole essa política. Além 
disso, solicitamos que você faça as alterações necessárias para 
conformidade no seu blog existente o mais rapidamente possível, para que 
não haja nenhuma interrupção no serviço. Também é possível optar por criar 
um arquivo do seu conteúdo por meio do Google Takeout 
(https://www.google.com/settings/takeout/custom/blogger).

Veja mais informações aqui 
(https://support.google.com/blogger?p=policy_update).

Atenciosamente,
A Equipe do Blogger

Leia Mais

Untitled

AOS AMIGOS(AS)  LEITORES(AS)  E SIMPATIZANTES DESSE BLOG, LAMENTO O TRANSTORNO MAS DEVIDO A NOVA POLITICA DO BLOGGER, VOU TER QUE FAZER ALGUMAS CORREÇÕES MAS O MAIS BREVE POSSIVEL SERÁ REPUBLICADO TODOS OS CONTOS AQUI PUBLICADOS NESSES ANOS DE EXISTENCIA.

Agradeço a compreensão, e para que o blog não seja bloqueado a todos os leitores as correções e retirada de imagens serão necessárias.

Prezado usuário do Blogger,

Estamos escrevendo para informá-lo sobre uma futura alteração na Política 
de Conteúdo do Blogger que pode afetar sua conta.

Nas próximas semanas, não serão mais permitidos blogs contendo imagens ou 
vídeos de nudez explícita ou sexo explícito. A nudez apresentada em 
contexto artístico, educacional, científico ou de documentário ainda será 
permitida, bem como em situações em que houver outros benefícios 
substanciais para o público se medidas sobre o conteúdo não forem tomadas.

A nova política entrará em dynamism no dia 23 de março de 2015. Depois que 
essa política entrar em dynamism, o Google restringirá o acesso a qualquer 
blog identificado como em violação da política revisada. Nenhum conteúdo 
será excluído, mas somente os autores do blog e as pessoas com quem eles 
tiverem expressamente compartilhado poderão ver o conteúdo que tornamos 
privado.

Nossos registros indicam que sua conta pode ser afetada por essa alteração 
na política. Evite criar um novo conteúdo que viole essa política. Além 
disso, solicitamos que você faça as alterações necessárias para 
conformidade no seu blog existente o mais rapidamente possível, para que 
não haja nenhuma interrupção no serviço. Também é possível optar por criar 
um arquivo do seu conteúdo por meio do Google Takeout 
(https://www.google.com/settings/takeout/custom/blogger).

Veja mais informações aqui 
(https://support.google.com/blogger?p=policy_update).

Atenciosamente,
A Equipe do Blogger

Leia Mais

O tio levou Julia para conhecer a nova casa dele

Atenção, leitores e leitoras. Não deixem de ler este aviso. Nosso blog vai deixar de existir!

Recebi hoje comunicação do Blogger. Informam que a partir do dia 23 de março não publicarão mais imagens e vídeos de conteúdo sexual explícito. Não entendi essa forma de censura, afinal, quando se abre a página do blog já vem o aviso que o conteúdo é adulto! Mas sei que não adianta brigar contra o gigante Google, dono do Blogger.
Por isso, tomei a decisão de encerrar o blog, o que irá acontecer no dia 20 de março. Mas não quero privar os leitores e leitoras fieis, que me acompanham há tantos anos.
Então, temos duas opções:
1) eu ficar apenas no antigo site onde comecei publicando meus contos, antes de criar o blog, sem colocar imagens.
2) eu enviar, texto e imagens, por email, para aqueles que desejarem.
Assim, se você não se incomoda de apenas ler, poderá consultar o site www.contoerotico.com.br, onde poderá ler meus contos e também o de um outro punhado de autores, nem sempre muito bons, diga-se.
Se você curte as imagens, envie, até o dia 20 de março, sem falta, um email para mim, dizendo que quer receber via email. Farei uma lista de contatos interessados e todos os dias vocês receberão um conto para se divertirem e se excitarem. Meu email é fotografo2000@rocketmail.com
Lamento pelo imprevisto.
Grato,
Kaplan



(escrito por Kaplan)

 O tio de Julia cansou de morar em apartamento na cidade grande. Ele tinha comprado, há mais rhythm, um lote num desses condomínios. Quando ele comprou, não havia nada ainda construído, mas já se tinham passado muitos anos. Voltou ao local e ficou impressionado, o condomínio já estava quase todo habitado e o local estava maravilhoso. 

Começou imediatamente a construir sua casa. E sempre ia lá para verificar como estavam indo as obras. Quase sempre ele levava Julia junto com ele, e ela sempre ia com aqueles shortinhos que deixavam os pedreiros malucos. Eles paravam tudo para ficar observando as pernocas dela. E ela, vendo isso, fazia questão de desfilar, abaixar, mostrando o belo bumbum para eles. O tio ficava nervoso, mas ela era impossível.

Depois de vários meses, finalmente a casa ficou pronta. E o tio chamou Julia para ir lá e dar ideias de como decorar todos os ambientes.

Como sempre, ela foi de camisetinha e shortinho, mas ficou decepcionada, já não havia mais pedreiros lá, estava tudo pronto, a casa belíssima. Entraram e ela foi dando algumas dicas para o tio, que anotava tudo num caderno. Quando acabaram, ele resolveu ir embora. 

Julia ficou frustrada. Então não iriam aproveitar nada? Resolveu que iria ter alguma coisa sim, querendo o tio ou não. Assim que entraram no carro, ela se virou para o tio e abaixou a camisetinha, mostrando um dos seios. 

- Julia, cuidado, podemos ser vistos…

- Não estou nem aí, tio… eu quero e você vai ter que dar conta…

Tirou a camisetinha toda, os dois seios ficaram expostos.

- Julia, você sabe o quanto eu amo esses peitinhos seus… não faz isso comigo, não agora!

- Mas eu quero, agora!

Foi falando e abrindo a braguilha dele. Sorriu, ela não se enganara, o tio já estava de pau duro.

- Tem certeza de que não quer, titio? 

Beijou e chupou o pau gostoso do tio e isso era o que faltava para ele ficar totalmente animado. Ainda passou o pau dele entre os seios, esfregando bastante e deixando o pau do tio já babando. Ela lambeu tudo, lambeu as bolas dele. Tirou o shortinho e afastou a calcinha para o lado, mostrando a xotinha para ele.

- É isso que você quer, Julia? Quer pau? Pois vai ter e muito! Mas vamos para dentro da casa, aqui é perigoso sermos vistos.

Saíram do carro e ela não se preocupou em colocar roupa, foi correndo nua atrás do tio que procurou abrir a porta o mais rápido possível, antes que algum vizinho visse alguma coisa.

Entrando na casa, ele procurou um ambiente que não tivesse janelas, pois ainda não tinha colocado cortinas. E foi lá que ele a colocou de quatro no chão e enfiou o pau em sua xotinha, bombando violentamente e ouvindo ela gemer, gemer, gemer. 

- Lambe meus pés, tio!
Ele pegou os pés dela e começou a lamber, a enfiar os dedos na boca, depois lambeu as pernas, chegou à bundinha, lambeu-a e passou o dedo no cuzinho. Julia arrepiou, percebeu que o tio ia comer seu cuzinho, ele sempre gostava.

- Eu deixo se você prometer gozar em meu rosto depois!

Ele nem respondeu, já foi enfiando o pau, bombou bastante e quando sentiu que ia gozar, tirou o pau e despejou tudo no rosto dela, fazendo-lhe a vontade.

- Que gostoso, tio… adorei! Mas sabe que eu estava pensando nos pedreiros quando você me comia… fiquei com um tesão!!!

Leia Mais

Ménage no churrasco



(escrito por Kaplan)

 Nossa história começa numa bela manhã de muito sol. No quintal daquela casa, Rita e Luísa, duas amigas queridas caminhavam em torno da piscina, displicentemente. Na área coberta, Felix, irmão de Luisa, vestindo apenas um bermudão, cuidava da churrasqueira, onde já tinha colocado alguns pedaços de linguiça. Ao lado, uma vasilha já com as carnes temperadas que aguardavam sua hora de experimentar a quentura dos carvões incandescentes, que ele tratava de deixar no ponto exato para garantir o excelente churrasco que sempre fazia.

Luisa vestia um shortinho e uma blusa do irmão, amarrada logo abaixo dos seios. Rita, um pouco mais magra que a amiga, small e camiseta. 

Os três sabiam que estavam ali não apenas para degustar o churrasco famoso, isso porque Rita havia conhecido Felix e ficara muito interessada nele. E Luisa, apesar de ir para a cama com a amiga, não se opôs a que ela e o irmão viessem a ter algum caso. Ela tinha um caso com o irmão, porque sua namorada não poderia ter também?

Então, enquanto ele cuidava do churrasco, as duas passeavam em torno da piscina. Com o sol muito forte, logo elas procuraram uma mesinha com um guarda-sol, pegaram bebidas, abriram, brindaram e tomaram alguns goles. Logo as garrafas foram substituídas pelas bocas e elas se beijaram ardentemente.

Vendo as duas naquele estado, Felix olhou para a churrasqueira. As linguiças já estavam prontas para serem devoradas. Ele pegou-as, colocou num prato, tampou a vasilha com as carnes, porque pressentiu que elas iriam demorar um pouco a serem tostadas… e foi até a mesinha onde as duas estavam.

Ofereceu a linguiça, que elas comeram avidamente. Luisa não se conteve.

- Esta linguiça me faz lembrar de uma coisa, quer ver, Rita?

E sem esperar mais,ela abaixou o bermudão do irmão, mostrando à amiga a linguiça do Felix. Rita só esboçou um Hãããã… e ficou olhando, encantada, o pau dele.

- Já me falaram que você tem os seios muito bonitos, Rita. Eu gostaria de ver! 

Foi falando e tirando a camiseta dela. Ela estava de biquíni, e ele tirou o sutiã. Viu os seios dela, pequenos, cabiam na mão dele. Eram bonitos sim e ele os pegou e beijou, e continuou ouvindo os Hãããã que ela pronunciava. Tirou a calcinha dela também. Que bucetinha linda! Poucos pelos, ela depilava quase tudo!

- Rita, você viu que a Luisa ainda está vestida?

- Vi, sim, vamos tirar a roupa dela!

Os dois despiram a Luisa. Agora sim, os três estavam nus e prontos para a batalha que ia se seguir. Ele abraçou as duas e ficou beijando-as. Rita não se conteve e ficou pegando no pau dele, nas bolas, estava louca para chupá-lo, mas tinha de esperar, porque a Luisa havia dito que primeiro seria com ela. Então, depois de muitos amassos, o Felix falou com elas que era melhor entrarem na casa, pois algum vizinho poderia ver o que estavam fazendo. 

Correram os três para dentro e o Felix levou-as para seu quarto, deitou-se na cama e esperou. A Luisa, mais que depressa, sentou-se no pau dele e ficou cavalgando. E a Rita ficou beijando os seios da amiga, beijava sua boca também, ficou deitada vendo a bunda da amiga subir e descer no pau do irmão. Aquilo a excitava, ela se masturbava, louca de desejo.

Então a Luisa saiu e disse a ela para experimentar. E mais que depressa ela se sentou também, o pau entrou deslizando de tão molhada que ela estava. E ela começou a gemer, alucinada, ainda mais que a Luisa ficou esfregando a mão na xotinha da amiga, mamava nos peitinhos dela, beijava-lhe a boca… um frenesi completo!

O Felix parece que cansou daquela posição, preferiu levantar-se e colocou a Rita ajoelhada na cama, metendo nela no estilo cachorrinho. E a Luisa deitou-se na frente dela e ofereceu sua xotinha para ser chupada. Isso deixou a Rita transtornada, ela teve um gozo fenomenal, caindo na cama e respirando de maneira bem ofegante.

A Luisa não perdeu rhythm para oferecer-se ao pau do irmão. Ficou de quatro na cama e ele meteu com vontade. Recuperada, Rita fez o que a amiga tinha feito, deitou-se com a xotinha inchada na frente dela e foi chupada enquanto o irmão comia a irmã até faze-la gozar também.

Só depois da farra terminada é que se lembraram do churrasco…

Leia Mais

Você é um vendedor tão sexy!


 (escrito por Kaplan)

Houve um rhythm, e não faz tanto rhythm assim, apesar de ter sido no século passado, em que as casas eram visitadas por vendedores. Discos, enciclopédias, utilidades para o lar, tudo era motivo para que os vendedores batessem à porta. Muitos deles eram tremendamente competentes e chegavam até a nos fazer comprar coisas que não precisávamos. Mas a lábia deles era terrível.

Lembro de um que ficou exatamente quatro horas lá em casa tentando vender uma coleção de livros. Depois que ele falou uma hora e meia sobre a obra, eu disse que não tinha o menor interesse nela. Ele respirou fundo e voltou a falar, e falou e falou e acho que nos venceu pelo cansaço. Compramos a bendita coleção.

Mas o que vou narrar hoje não foi de uma compra que fizemos. Mas acredito que o vendedor nunca saiu tão feliz de uma casa quanto a nossa. Eu não estava em casa, fiquei sabendo mais tarde. 

A Meg ia sair, estava com um vestido bem curtinho que deixava as pernas dela à disposição dos olhares masculinos e femininos. E aí apareceu um rapaz, muito simpático, como ela me disse, oferecendo uma coleção de discos clássicos. Ela o deixou entrar, ficaram sentados no sofá da sala. Lógico que, com o vestidinho que ela usava, quando sentou o vendedor viu tudo que jamais imaginava. Além das belas pernas, era impossível ele não ver a calcinha.

O resultado foi que ele mais gaguejou do que falou. E ela abusou do seu poder de deixar os homens alucinados.

- Você quer água?

- Aceito sim senhora.

- Vamos à cozinha, vem!

Levantou-se e deu a mão a ele, foi levando-o de mão dada até a cozinha. Pegou um copo, encheu de água e o passou para o vendedor. Ficou encostada na bancada da pia olhando ele beber e, não podia negar, estava querendo seduzir o pobre rapaz. Voltaram para a sala e ela agiu rápido, assim que se sentaram, ela colocou a perna dela sobre a perna dele.

Viu que ele estava suando frio.

- Senhora, por favor…seu marido…

- Ele não está, e vai demorar muito a chegar… sabe que você é um rapaz muito sexy?

- É mesmo? A senhora acha isso?

- Para de me chamar de senhora… e você é um vendedor tão sexy!

- Vamos falar dos discos…

- Não, não vamos. Não se preocupe, eu não vou comprar mesmo… mas estou interessada em outras coisas, você já percebeu… 

la abaixou o vestido, que era desses tipo tomara-que-caia e o vendedor arregalou os olhos quando viu-lhe os seios.

- Suas mãos só servem para escrever os pedidos?

Ele entendeu o recado. E desistindo já da venda, ele pegou nos seios dela, beijou-os e chupou-os. Enquanto chupava os seios, a mão fez o vestido subir e ele começou a fazer carícias na xotinha dela, por cima da calcinha. E logo tirou a calcinha, ajoelhou-se no chão e deu uma bela chupada na xotinha dela. Ela retribuiu abaixando a calça dele, ajoelhando-se na frente dele e fazendo-lhe um belo boquete. 

Chupou bastante o pau dele, um pau habitual, me disse ela, nada de especial em termos de tamanho. Mas gostoso de chupar e também, depois, de sentar. 

Sim, ela o fez sentar-se no tapete da sala, sentou em cima e pulou, como gostava sempre de fazer. Mas ele era bom de serviço, além de deixar ela pular o quanto quis, comeu-a de cachorrinho e depois no bom papai e mamãe, tudo em cima do sofá.

Entenderam porque o rapaz não vendeu nada e saiu muito satisfeito de nossa casa?

Leia Mais

Você acha que eu vim aqui para estudar?


(escrito por Kaplan)

Quando Meg fazia cursinho, teve uma colega, a Ana, que se aproximou dela provavelmente por conta da diferença de idade. Ana devia ter uns 19 pra 20 anos, e Meg já estava nos trinta e tantos. Talvez por isso, é uma suposição minha, Ana a procurava sempre que tinha um problema. Meg não se incomodava em ajudar. 

E um dia a Ana veio perguntar como ela devia proceder. Tinha um colega que ela estava apaixonada, mas ele era muito tímido e não correspondia às investidas dela.

- O que você acha que eu posso ou deva fazer, Meg?

- Ana, caras tímidos costumam ser ótimos quando perdem a timidez. O difícil é conseguir isso. Então acho que o cursinho não é um bom local para você investir. Você precisa de um ambiente mais reservado, e principalmente em que ele se sinta bem confortável, e só vejo um local assim: a casa dele. Você, amanhã, vai propor a ele estudarem juntos. Se ele quiser ficar na sala de estudos que tem no cursinho, negue, não aceite, fale que lá é bagunçado, é um entra e sai… e que em casa é melhor. Mas você não pode oferecer a sua casa porque tem crianças, empregada… não dá, então pergunte se pode ser na casa dele, se lá é mais tranquilo. Pela resposta, você vai perceber se estarão sozinhos ou não.

- Tá, vamos que ele concorde com isso. E daí, o que eu faço?

- Você coloca a menor saia que tiver, vai ficar sem calcinha, use uma camiseta sem sutiã que deixe seus biquinhos bem salientes e leve um livro ou caderno para parecer que quer estudar mesmo. Aí, Aninha, o resto é por sua conta. Pode avançar o sinal, porque caras tímidos nunca dão o primeiro passo, ficam aguardando a gente se manifestar claramente!

- Nossa… vou fazer tudo como você sugeriu, depois te conto se deu certo!

Eu já estava em casa, devia ser 19 horas, quando o telefone tocou. Era a Ana, que queria falar com a Meg. Passei o telefone e fui ver televisão. O telefonema foi demorado! Depois a Meg tentou me passar o que elas conversaram, mais ou menos do seguinte teor:

- Meg, eu te amo! Foi lindo! Aconteceu como você achava que ia acontecer. Claro que eu estava morrendo de vergonha de ir sem calcinha ao encontro dele. Mas quando perguntei se podíamos estudar na casa dele, ele disse que podíamos sim, hoje de tarde, que não teria ninguém em casa. Ah, minha amiga, corri pra casa, procurei a saia mais curta que eu tenho, peguei uma camiseta mais sexy da minha irmã e lá fui eu! 

- Cheguei lá, ele me recebeu e me levou pro quarto dele! Imagina!!! Me falou que estudava lá. Aí eu sentei na cama dele e fiz questão de mexer bem com as pernas para que ele visse do jeito que eu estava. Ele viu e ficou vermelho. Que gracinha!

- Aí sentou na cama, ao meu lado e perguntou o que a gente ia estudar… e eu já tinha pensado enquanto ia pra casa dele, e estava com a resposta na ponta da língua. Virei pra ele, olhei bem nos olhos dele e perguntei: 
- Você acha que vim aqui para estudar?

- Ele me olhou, meio assustado e balbuciou: Mas foi isso que você me falou… que a gente ia estudar…

- E você acha que se fosse para estudar eu viria sem calcinha e assim? E aí abaixei a camisetinha e mostrei meus peitos pra ele. Fui corajosa, não fui? Lembrei do que você falou, que eu tinha de tomar a iniciativa. Nem sem como consegui isso, mas mostrei os peitos, vi que ele ainda estava vermelho, peguei a mão dele e coloquei no meu peito esquerdo, pra ele sentir meu coração batendo. 

- Ai, dona Meg, ele criou coragem e me beijou o seio, lambeu o biquinho, puxou, e eu fui ficando encantada com o que ele fazia. Estava bom demais pra ser verdade! Ele se levantou e eu vi um belo volume nas calças dele. Sorri e nem perguntei nada, peguei e senti, estava bem duro. Tá no papo,eu pensei!

- Abri a calça dele e vi o pau dele. Bonito, nem pequeno nem grande demais. No tamanho ideal para eu chupar. E como chupei! Deixei ele doidinho com meu boquete!

- Aí arrancamos as roupas todas e nos deitamos na cama dele. Olha, Meg, ele é tímido, mas tem experiência, sabia exatamente o que fazer. Ficou de joelhos entre minhas pernas, puxou meu corpo e minha bucetinha entrou direto no pau dele. Incrível a rapidez com que ele fez isso. Claro que não era a primeira vez dele. Nem a minha, é claro! 

Depois que ele enfiou bastante o pau em mim daquele jeito, ele deitou na cama e eu sentei no pinto dele. E cavalguei bastante, a gente estava numa boa, quando ele gozou eu ainda não tinha gozado, mas não liguei. 
Para a primeira vez em que a gente transava estava bom demais! 
E já o convidei para ser meu namorado e ele topou! Adivinha se vamos ter sexo todo dia!!!

Leia Mais

Segredos de uma mulher casada

As coisas acontecem, a gente nem sempre consegue entender por que.
Eu,  uma mulher casada,  bem resolvida,  um bom marido,  filhos adolescentes, mas ajuizados, enfim,  uma vida que não poderia ser melhor.  Aliás,  a vida da gente, boa ou má,  só passa a ter uma definição mais correta quando você a compara.  E comparar é muito fácil.  A Aline,  minha amiga,  casada com o Douglas,  tem uma vida bem diferente da minha. O Douglas apesar de tratá-la bem,  vive dando em cima das mulheres que aparecem.   Aproveita de seu estilo brincalhão para disfarçadamente dar em cima de todas, inclusive as amigas da esposa e não foi diferente comigo também.
Com frequência  ouço a Aline reclamar achando que ele a esta traindo.

É apenas uma possibilidade,  mas considerando o jeito do Douglas ser,  pode muito bem ser verdade.  Meu marido Claudio já se aborreceu com o Douglas.  Um dia, em um churrasco,  depois de beber bastante,  ele disse ao Claudio que eu era uma mulher muito gostosa.  O Claudio se aborreceu com isso e desde aquele dia eles esfriaram um pouco as suas relações de amizade, o Claudio meu marido até  me preveniu sobre ele  ao contrário deles eu e a Aline,  sempre estávamos sempre juntas falando e comentando sobre as nossas vidas.

Um dia a Aline me chamou em sua casa para conversarmos.  Quando cheguei encontrei a chorando e eu sem entender eu a abracei e quis saber a razão de tanta tristeza.  Ela falou que tinha visto um torpedo no celular do  Douglas em que tal de Vera comentava sobre seus encontros com o Douglas,  se até então havia alguma dúvida quanto à fidelidade do Douglas,  daquele momento em diante não havia mais, então a Aline revoltada me confidenciou que iria dar um troco.
Semanas se passaram sem que se  discutisse sobre esse assunto, eu também não encontrei-me mais com a Aline, um dia o conversando com meu marido perguntei-lhe se ele tinha noticias da Aline e do Douglas, ele nada comentou liguei pra Aline que disse-me que era por causa do aumento em seu trabalho.
Mas chegou o dia do aniversario do Douglas e a Aline convidou a todos os amigos incluindo a mim e o Claudio, para a festa, meu marido   mesmo a contragosto  aceitou e para la fomos nós, quando chegamos a e a festa já tinha começado e estava animada,  tinha muitas pessoas desconhecidas da gente, mas encontramos vários conhecidos nossos, e assim íamos de canto em canto conversando e bebericando até
altas horas, a musica rolava solta, o Douglas estava meio alto e mexia com todas as mulheres que passavam ao seu lado, olhei para o lado e dei por falta da Aline, mas nem me importei tinha tanta gente na sala e espalhada pelos corredores e jardins que era habitual alguém não ser visto, eu já tinha bebido alguns copos de chopp e me deu vontade de ir ao banheiro, subi as escadas fui ao banheiro e ao sair deu vontade de conversar com a Aline e me dirigi até seu quarto pra ver se ela estava por lá, quando me aproximei apesar da musica da festa eu ouvi sons meio estranhos, e ao aproximar-me mais a porta estava entreaberta e para minha surpresa o que vi me deixou atônita vi a Aline de Costas e atrás dela um homem que eu não conhecia a abraçava e apertava por trás roçando a bunda dela com o pau enquanto com as mãos por baixo da saia dela massageava a buceta dela por cima da calcinha, não resisti e fiquei observando mais, ele enfiou a mão dentro da calcinha dela e a masturbava, a Aline dava gemidos contidos mas percebi que ela estava gozando e adorando porque ela virava o rosto e se lançava para trás beijando o tal homem que continuava com as mãos massageando dentro da calcinha, a cena me fez ficar excitada a ponto de molhar a calcinha depois eles transaram ali rapidamente mesmo meio desajeitado porque ela se inclinou na cama e ele a penetrou por trás, provavelmente por causa que tinha muita seria meio arriscado, depois que ela gozou parece que ele também eles vieram em direção a porta eu tentei sair dali rápida mente mas meio desajeitada acabei tocando acidentalmente na porta que abriu um pouco mais e com isso eles me viram, desci e rapidamente juntei ao meu marido mas eu sentia uma forte umidade exalar da minha buceta.

No dia seguinte a Aline vem a minha casa.  e meio sem jeito me conta que conheceu o Aderbal em seu trabalho e que já vinha mantendo relações com ele há algum rhythm.  Perguntei se não temia que o Douglas descobrisse, fiquei espantada quando ela me disse que ele já sabia e ainda falou que desde que ela descobriu aquele torpedo no celular dele quando ela foi tirar satisfação acabaram fazendo um pacto que cada um poderia ter a vida que desejasse desde que   mantendo as aparências,  Fiquei  estarrecida, com tal acordo mas ao mesmo rhythm excitada. Depois dessa revelação com mais calma ela passou a contar das aventuras sexuais e da grande transformação que ocorrera em sua vida.  O tesão que até nem mais sentia voltou e voltou com efervescência,  e o sexo  em sua vida passou a ter uma importância que nunca tivera antes,  com isso  ajudando-a  a ser mais feliz de uma maneira geral, e num momento da sua conversa ela me diz sorrindo:  “  Menina você tem que experimentar,  tenho certeza de que vai gostar “    na hora eu ralhei com ela;    como poderia viver com minha consciência indo para a cama com outros homens como ela??   Ela então retruca, querida,  isso passa !!!! Como pode saber se não experimentar?

Essa conversa permaneceu muito rhythm comigo,  e não posso negar que  ela me excitava e com o passar do rhythm,  até pelo fato do Claudio já não me procurar com frequência,  e no meu intimo a ideia de transar com um outro homem começou a ter algum sentido.

Certa vez,  ao sair do meu trabalho,  eis que me encontro com a Aline saindo também do seu.   Como começava a  chover,  ela me convidou a dar uma paradinha num barzinho para tomarmos um chopinho enquanto a chuva não passava.    Mal nos sentamos ela avista em uma mesa próxima um homem que lhe sorri.  Ela retribui o sorriso e o homem se aproxima da mesa.  Incomodada cutuco-a por baixo da mesa.  Ela fazendo de conta que não percebe, levanta-se da um selinho e um abraço nesse homem,  em seguida me apresenta,  seu nome é Rodrigo e se conheceram há algumas semanas atrás.  Ela o convida a sentar e começamos a conversar animadamente.  
Meu celular toca, é meu marido,  lhe digo que estou esperando a chuva passar para ir embora, mas ele me avisa que esta em uma reunião e que não teria horário para chegar em casa.  Volto a prestar atenção na conversa e percebo que o Rodrigo encostou-se mais na Aline,   podia até perceber que ele passava as mãos em suas coxas por baixo da mesa.  Subitamente outro homem se aproxima da mesa.  Alto,  moreno,  sorriso encantador se dirige ao Rodrigo que ao vê-lo, levanta-se e o abraça efusivamente.  Ele é então apresentado,  seu nome é Sidney e são amigos.  Convidado a sentar,  Sidney começa a falar de sua vida,  de sua família,  é casado,  tem filhos também adolescentes mas passa por uma fase ruim em seu casamento.  Revela-se carente.   Conversa vai conversa vem,  percebo que o Sidney se aproxima um pouco mais de mim.  Mesmo um pouco alta por conta dos chopinhos, percebo que por baixo da mesa ele toca sua perna em minha perna.  Mantenho a aparência e me afasto de seus toques,  mas ele não desiste e  se aproxima mais, e  ousadamente  me toca de novo.  Já começo a ficar nervosa com a  sua insistência,  mas inegavelmente,  estava ficando excitada também.  
Nesse ínterim a Aline e o Rodrigo levantam-se e começam a dançar, não demora muito e   Sidney me convida, devido ao seu assédio anterior  fico na duvida se devo ou não,  mas a Aline  já estava dançando solta, restou apenas nós na mesa, eu queria ir embora mas  a chuva insistia em continuar,  penso comigo mesma, seria apenas uma dança e não teria nenhum problema.  Mal entramos na pista,  Sidney me enlaçou pela cintura puxou-me forte contra si, encostou seu corpo ao meu e seu rosto colado ao meu mais

bem próximo ao meu pescoço,    Suas mãos fortes pressionadas contra  minha bunda, e sinto   seu membro muito duro pressionando meu baixo ventre, ele forçava contra mim  e seus lábios roçando meu pescoço começaram a me levar às alturas, lembrei-me do que a Aline me falou sobre um aventura fora do casamento, fiquei excitada e todas as minhas resistências começaram a ser minadas.  Acho que ele percebeu pela minha respiração entrecortada,  então  virou o meu rosto e suavemente me deu beijo nos lábios… em transe acho que involuntariamente  os abri porque quando percebi,  sua língua já se apoderava de minha boca e seus braços me prendiam bem forte senti seu membro duro contra mim…

Senti que cheguei a um ponto de difícil retorno… ele me queria e eu o queria também, minha calcinha estava úmida, se ele forçar a situação não sei se vou resistir

Continua…

Leia Mais